Foto: Ricardo Stuckert

"Hoje cada casa tem um desempregado. O salário está diminuindo. Toda vez que gente lá de cima tenta resolver economia quem paga o pato não é o Paulo Skaf, quem paga o pato é o povo pobre", disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira (16), durante ato na cidade de Ferraz e Vasconcelos, em São Paulo. 

Em agenda pela região metropolitana de São Paulo, Lula enumerou as perdas de direitos já acumuladas pelo golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff e convocou a militância a reagir em 2018, nas eleições presidenciais. "Toda vez que chega alguém e começa a cuidar dos pobres eles querem derrubar essa pessoa. Com o PT as pessoas passaram a comer melhor, morar melhor, viver melhor. Agora o PT não está mais no governo e o que aconteceu?" questionou. 

O ex-presidente também citou a reforma trabalhista que entrará em vigor a partir do dia 11 de novembro e o aumento dos preços. "Quanto custava o gás de cozinha no meu governo? Fiquei oito anos sem aumentar", relembrou. "Tenho pena dos sindicalistas de hoje em dia que vão precisar começar tudo de novo. Perdemos direitos conquistas em 1943".

Agenda

Lula destacou que a passagem por Ferraz de Vasconcelos faz parte de uma intensa agenda por São Paulo. O ex-presidente, que embarca para Minas Gerais com sua caravana Lula Pelo Brasil na próxima segunda-feira (23), destacou que viajará pelas cidades de SP com a mesma intensidade que pretende viajar pelo Brasil. 
 

Voltar para o topo